2-anos

2 anos – Parabéns Filha!

Filha, essa é a terceira vez que tento escrever algo para você nesse seu segundo aniversário.

No texto que o papai fez quando você fez 1 ano foi difícil porque eu não entendia direito o que estava sentindo. Mas, agora é diferente. Eu não consigo escrever porque…. VOCÊ NÃO DEIXAAAAAAA!

É toda hora “papai coloca na Peppa”, “papai que tá fazendo?”, “papai deixa eu subir no seu colo”, “papai quero bolacha”.

Sim, filha, você é sufocante!

Ou melhor, você me tira o ar.

Enquanto escrevo esse texto ouço sua voz ao longe. Você está no quintal, brincando com o vovô, a tia Marina e o bigu. Fico feliz por isso, mas precisava estar tão longe? Lááááááá no quintal?

No filme do Batman – O Cavaleiro das Trevas, o ator que faz o papel do Coringa é tão bom, mas tão bom, que o filme fica chato quando ele não está em cena.

Pois bem, você é o coringa da minha vida.

Quando eu poderia imaginar que gritar gol do São Paulo não seria tão divertido. Então, quando você não está comigo vendo o São Paulo “juga gol” não é mais tão divertido. Parece que falta algo.

Algo tão essencial para a vida como o ar. O ar que você me tira.

E como o ar, você chega e conquista tudo e todos com sua beleza e desenvoltura.

Um tempo atrás eu fiz um texto sobre você dormir com o papai e a mamãe. Eu não gostava disso. Aliás, quem gosta de dormir espremido e acordar no meio da noite com uma pesada na cara? Pois é, acontece que agora eu gosto.

Quando você estava para nascer todos falavam para eu aproveitar para dormir, que nunca mais conseguiria dormir direito. E eu pergunto: qual é a graça conseguir dormir uma noite inteira sem acordar com uma cabeçada no nariz? Se for para ter uma noite calma prefiro não dormir.

Hahahahaha acabou de acontecer algo que confirma tudo que estou falando. Agora pouco fui comprar fralda para você e quando voltei a tia Marina falou que você estava igual um furacão na cozinha e que estava deixando ela maluca. Agora ela entrou na sala, viu que você está quietinha vendo o “tabet” do vovô e reclamou:  – Que silêncio.

É isso, seu silêncio é ensurdecedor.

Filha, hoje você já faz 2 anos. E o pai deseja, do fundo do meu coração, que sua vida seja tão feliz como eu sou quando estou com você. Que tenha tantas risadas quanto as que você dá quando o papai solta um Hadouken em você.

 

Agora deixa eu terminar esse texto porque você já me chamou duas vezes, tentou subir no meu colo, quase desligou o computador antes de eu salvar o texto e derrubou meu celular.

Mas antes de finalizar, quero dizer para você nunca, nunca se esquecer da conversa que tivemos ontem quando acordamos:

– Filha (sussurrando).
– Oi (sussurrando).
– Papai te ama (sussurrando).
– Tá bom (sussurrando).

Miserávi, quem é que tá te ensinando a ser tão sarcástica hein?

Feliz aniversário! E obrigado, muito obrigado por ser minha filha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *