primeiro-dia-com-dois-filhos

Primeiro dia com dois filhos em casa

O primeiro dia com dois filhos em casa foi algum tipo de treinamento de choque (ou amostra grátis, não sei ainda), mas me senti em um episódio de Sob Pressão.

sob pressão

11 horas

Mamãe, novo bebê e eu saímos do hospital rumo à casa da vovó. No caminho soubemos que nossa filha de 3 anos esteve com febre de 39.9°C, mas já havia sido medicada e estava baixando.

No caminho descobrimos que eu teria que ir até o Tatuapé no período da tarde buscar um material do trabalho da mamãe.

14 horas

Bebê devidamente estabelecido em casa, mamãe já almoçou, Isabela já sem febre. Ok, vou buscar o material da mamãe. Coisa de 40 minutos entre ir e voltar.

Engano meu. Para ir o trajeto foi normal. Na volta algumas ruas cruciais estavam interditadas e eu tive que dar uma volta bem maior para poder voltar. Aumentando minha volta em 50 minutos.

15h30

filha com febre

Chego de volta e descubro que a febre da Isabela já tinha voltado para 39.5°C.

Pego minha filha, a vovó, conferimos se está tudo bem com a mamãe e vamos para o hospital.

16h

Chegamos ao hospital e até que fomos atendidos rápido. Porém, foi solicitado um exame que demoraria cerca de 2 horas para ficar pronto.

19h20

Saímos do hospital com a informação de que a criança tinha apenas uma inflamação na garganta, dando negativo para bactéria.

20h

Chegamos em casa e saio para comprar os remédios prescritos. Verifico o bebê que está bem, assim como a mamãe. Esta, porém, está com muita dor no mamilo devido a amamentação.

Bem, nesse quesito não tenho muito que fazer, então saio para a farmácia. Chegando lá a mamãe me liga e pede para eu comprar uma bombinha para ela tirar leite porque não estava mais conseguindo amamentar de tanta dor.

Compro a bombinha, a mamãe tira o leite e tenta dor no copinho para o bebê. Já tínhamos experiência nisso, porque para nossa primeira filha precisamos a entrar com complemento desde os primeiros dias.

Ele toma, mas com um pouco mais de dificuldade do que nossa primogênita tomava (ela sempre foi boa de garfo rs).

22h

Volta a febre na nossa filha. E ela, quando quer, dá um verdadeiro show para tomar remédio. Dessa vez não deu. Tomou e voltou a se distrair com o celular.

00h

Bebê acorda querendo mamar. Mamãe tenta dar o peito apesar da dor. Não consegue por muito tempo. Ele chora. Tentamos dar complemento no copinho. Ele já não aceita tão bem. Tem dificuldade para tomar.

E se contrariarmos a pediatra e darmos mamadeira?

Mas, a mamadeira está na minha casa e não na da vovó.

Tento dar mais um pouco. Ele toma um pouquinho, mas engasgando. Fico com receio de continuar. Ele dorme. Ufa.

Vamos dormir também.

01h40

dois filhos em casa
Isabela, que está dormindo no quarto da vovó porque não podia ter contato com o bebê devido a inflamação na garganta, acorda gritando (quem conhece sabe que o grito dela é muito alto, ainda mais de madrugada).

Mamãe levanta para acudir. Confirmado, está com febre novamente.

Ela berra e diz que não quer tomar remédio. Mamãe e vovó tentam convencê-la.

Bebê acorda chorando. Pego ele no colo e tento acalmá-lo. Não consigo. Tento dar mais um pouco do leite no copinho. Ele engasga.

Mamãe entra no quarto falando que a Isabela vomitou o remédio de tanta força que fez para não tomar (ela já fez isso diversas vezes). Pede para eu ir tentar.

Peço para ela tentar dar o copinho para o bebê, que eu não estava conseguindo direito.

02h10

Vou até o quarto da vovó e tento fazer com que a Isabela tome o remédio. Ela continua fazendo escândalo.

Tento variar entre firmeza e carinho para convencê-la. Não dá certo. Excluo a tentativa com carinho e intensifico na firmeza. Ela toma e fica orgulhosa que conseguiu tomar.

Dou beijo de boa noite e volto para o quarto.

Mamãe conseguiu dar, com um pouco de dificuldade, o leite do bebê.

Olho no relógio, 02h30. Vamos dormir.

03h20

bebê acorda chorando

Bebê acorda chorando. Mamãe resolve novamente tentar dar peito. O bebê pega o peito. Mamãe uiva de dor. Chora. Vemos sangue no mamilo.

– Chega, vou até minha casa e vou pegar a mamadeira.
– Não. Não precisa ir na sua casa essa hora.
– Não pode ficar assim. Capaz de você parar de produzir leite por causa dessa dor (sei lá se isso pode acontecer, mas arrisquei). Fica tranquila, agora não tem trânsito. Em 20 minutos estou de volta.

03h30

Saio em direção da minha casa. Chego e me dou conta que não via meu cachorro desde quinta a noite, quando fomos internar para ganhar o bebê.

Ele faz uma festa enorme. Dou um pouco de atenção para ele.

Vou procurar a mamadeira. Demoro um pouco, mas acho.

Brinco com o cachorro mais um pouco.

04h10

Saio da minha casa e volto para casa da vovó.

Esterilizo a mamadeira. Preparo o complemento. Levo para a mamãe. Ela dá a mamadeira para o bebê e ele aceita maravilhosamente bem.

Vou até o quarto da vovó. Isabela dorme tranquila.

Volto para o quarto. Deito na cama.

O bebê termina de mamar. Faço ele arrotar.

Coloco no carrinho. E ele dorme com cara de satisfeito.

Mamãe se ajeita na cama.

Eu me ajeito na cama.

A casa está em silêncio.

Olho no relógio.

4h30

deito para dormir
Isso foi só o primeiro dia com 2 filhos em casa.

Eu vou adorar!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *